slider-1.png
  • Amandaverso

ÁUSTRIA: Tiroteio no centro de Viena deixa dois mortos e vários feridos.


(Foto: Ronald Zak)

Foto: Ronald Zak.




Na noite de segunda-feira, 2 de novembro, homens armados abriram fogo no centro de Viena, matando duas pessoas, incluindo um dos autores do ataque, e deixando quinze feridas.


Segundo a polícia local, por volta das 20h, vários tiros foram disparados em uma rua movimentada no centro da cidade. Imagens que circulam nas redes sociais mostram homens armados com rifles andando pelas ruas de Viena, atirando em pessoas ao acaso e ferindo várias.



Pessoas fugindo no centro de Viena durante o tiroteio. Vídeo postado no Twitter.



À emissora pública ORF, o ministro do Interior, Karl Nehammer, disse que os atiradores portavam rifles e que o exército foi encarregado de guardar locais importantes na cidade para permitir que a polícia perseguisse os homens armados.


De acordo com o prefeito de Viena, Michael Ludwing, 15 pessoas foram hospitalizadas, 7 delas em estado grave.


O chanceler austríaco Sebastian Kurz considerou o ocorrido como ataque terrorista:"Somos vítimas de um desprezível ataque terrorista na capital federal que ainda está em andamento", disse horas depois do início do tiroteio.


Um dos atiradores foi morto pela polícia, ação elogiada por Kurz que jurou:"Nunca nos permitiremos ser intimidados pelo terrorismo e lutaremos contra esses ataques com todos os meios."



Perseguição pelas ruas de Viena. Vídeo postado no Twitter.



O tiroteio aconteceu em frente à sinagoga principal da cidade mas, de acordo com o chefe da comunidade judaica em Viena, Oskar Deutsch, não estava claro se o prédio havia sido alvo já que ele estava fechada.


"Eles estavam atirando pelo menos 100 tiros do lado de fora do nosso prédio", disse o rabino Schlomo Hofmeister.


O ataque aconteceu na última noite antes do novo Lockdown no país, que começa a partir da meia-noite, e várias pessoas aproveitaram a oportunidade para sair já que todos os bares e restaurantes estarão fechados no próximo mês.


Através do twitter, o presidente francês Emmanuel Macron disse que os franceses "compartilham o choque e a tristeza do povo austríaco atingido por um ataque esta noite."





Nas últimas semanas, a França foi alvo de três ataques atribuídos a extremistas muçulmano. Todos os ataques foram condenados pelo chanceler austríaco Kurz na época.




Fotos: Ronald Zak



Com informações de La Croix e AP News.