slider-1.png
  • Davi Eler

Ó meu Brasil



Uma vez sentado em uma mesa, no canto de uma cafeteria, um jovem garoto que ainda se via a crescente pelugem em rosto, me perguntou: “Posso me sentar com o senhor?”


Fiquei impressionado por sua audácia e também pelo cheiro de meu charuto não o incomodar. Confesso que a curiosidade me levou a dizer: “Claro que sim. Mas por qual motivo desejaria a minha companhia jovem garoto?”


“Me disseram que o senhor é o melhor contador de histórias da região. E eu gostaria de saber quem é o Brasil.” Essa resposta do menino me fez arregalar os olhos, e também fez formar um belo sorriso em meus lábios, que minha vida solitária já não me permitia ter há um tempo.


Eu sou um contador de histórias muito conhecido por sentar naquela mesa do canto, até mesmo Nelson Gonçalves já compusera uma canção sobre mim. Então eu entendia o motivo daquele jovem garoto vir até aqui para conhecer sobre alguém. Porém ele queria conhecer o próprio Brasil, minha tão amada terra gentil, eu teria que caprichar.


O menino estava sentando na cadeira em minha frente, ansioso por ouvir minhas palavras. Eu dei um gole na minha cachaça, um baforada em meu charuto e comecei:


- Bom, nossa história para alguns começa em 1822,

Para outros bem depois,

Mas a verdade é que foi bem antes,

Em terras distantes.


Um homem com sede de sangue aterroriza o velho continente,

E a já despertada terra de Santa Cruz não se acovarda,

Ela refugia as últimas esperanças de toda aquela gente,

O rei engana o sanguinário e para isso não tarda.


E aí que passamos a ser não somente terra de riquezas naturais,

Agora pensamos com a cabeça e tudo mais,

Dom João se apaixona, só não mais que seu filho,

Ambos viram o tamanho do brilho.


Mas morrendo de ciúmes mandaram retornar,

Mas o grande Pedro não iria voltar,

Nosso herói estava aqui para nos libertar,

Acima de tudo, ele queria salvar.


Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.

Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.


Libertados por nosso rei,

Agora temos até a nossa própria lei,

Mas a vida não é cor de rosa,

Pedro teve de ir embora da terra gloriosa.


Seu dever como filho lhe chamava em outro lugar,

Enquanto isso os regentes ficaram a reinar,

Até Dom Pedro pronto estar,

Todos ansiosos para seu reinado começar.


A ansiedade foi respondida,

O rei deu pro completo sua vida,

Um exemplo de brasileiro,

Por toda vida um guerreiro.


Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.

Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.


Porém mais uma vez, tomamos um golpe do destino,

Milicos destroem se qualquer escrutino,

A república é erguida com hino francês,

E com bandeira de americano inglês.


E sem qualquer apoio da população,

A nação toma um golpe no coração,

Fica com ele na mão,

Com lágrimas nos olhos e a cabeça dizendo “não”.


Contudo conseguimos seguir,

Aos trancos e barrancos conseguia ir,

Mas o movimento final foi dado,

Getúlio Vargas eleito foi o fim do legado.


O ditador do povo,

Destruía o passado de novo e de novo,

Com um ardor de fazer o futuro a sua imagem,

Ele coloca o bem e a moral na margem.


Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.

Ó brava gente brasileira, longe vá temor servil,

Ou ficar pátria livre, ou morrer pelo Brasil.


Infelizmente garoto vamos ter que parar por aqui. Não posso ficar nem mais um minuto com você, sinto muito mas não pode ser. Moro em jaçanã se eu perder esse trem que sai agora às onze horas, só amanhã de manhã.


Além disso tem outra coisa, minha mulher não dorme enquanto eu não chegar, tenho minha casa pra olhar. Mas amanhã continuamos nossa história.


O jovem que tinha os olhos inchados por ter chorado com o enredo de nossa nação, agora parecia ainda mais triste. Ele com certeza não queria parar ali, mas entendia o motivo. O olhar daquele menino nunca mais sairia da minha memória, alguma dia vai dar uma ótima história.