• Alexandre Nagado

Alessandro Loiola, uma voz de sensatez contra o Covid-19

Atualizado: 6 de Dez de 2020


Dr. Alessandro Loiola


O médico e escritor Alessandro Loiola tem sido uma das mais atuantes vozes a se levantar contra a loucura dos lockdowns e a pressão em torno de uma possível vacina. Atendendo em um Pronto-Socorro, na linha de frente da luta contra o Covid-19 desde o início da pandemia, o médico tem falado em vários canais sobre sua experiência clínica e sobre como o tratamento precoce salva vidas. Defensor da volta à normalidade, ele é bastante crítico do governo quanto à falta de ações concretas para combater a doença.


De forma bem didática, Alessandro Loiola tem derrubado várias informações que têm sido aceitas como realidade incontestável da "ciência". Eis algumas:


- Na questão das vacinas em teste, ele não discute a eficácia ou não, mas sim a segurança delas. Muitos potenciais e perigosos danos genéticos podem vir e a margem de segurança para o uso de vacinas em larga escala dura anos, sendo impossível reduzir esse tempo para poucos meses.


- Não é preciso uma vacina para uma doença que, apesar da grande capacidade de se espalhar, não afeta 80% das pessoas expostas ao vírus e tem baixíssima letalidade. É perigosa para idosos e pessoas com comorbidades (diabetes, hipertensão, problemas cardíacos, etc...) e esses devem sim receber atenção especial. E mesmo nesses casos, o tratamento precoce reduz em muito o número de mortes.


- Crianças e adolescentes praticamente não desenvolvem Covid-19 e isso já é sabido (exceto na presença de comorbidades), mas também já vem sendo percebido que crianças oferecem baixo risco de transmissão. Não faz sentido manter escolas fechadas, ele sempre ressalta.


- Hidroxicloroquina, como a Dra. Nise Yamaguchi já cansou de dizer, é o medicamento ideal para tratamento precoce, combinado com Azitromicina, Ivermectina, Zinco e Vitamina D. E é cientificamente comprovado como eficaz, ao contrário da falácia mais comum repetida como mantra pela mídia e pelos YouTubers que misturam política, ciência e medicina. Existe mais de uma centena de estudos publicados pelo mundo, com dezenas deles já revisados por pares, mas a grande mídia brasileira ignora. [Nota: A Dra. Lucy Kerr, autora do protocolo da Ivermectina, entretanto, desacredita a Hidroxicloroquina e alerta para um potencial risco de cegueira. Isso nunca foi reconhecido como perigo real pelos médicos que defendem o medicamento.]


- Ivermectina é um excelente apoio ao tratamento do Covid-19 e ele utiliza em seus atendimentos. O remédio era vendido livremente, mas o Min. da Saúde determinou que seria preciso receita médica, para dificultar o acesso da população a um medicamento "sem comprovação científica". Segundo o Dr. Loiola, não está provado que serve como prevenção (pois os componentes ficam apenas algumas horas no organismo).


- Não existe "segunda onda do Covid-19", mas sim a sazonalidade de uma doença que veio se somar às já existentes.


- Um ponto importante em suas entrevistas é que Loiola fala sobre os médicos que se recusam a dar Hidroxicloroquina e Ivermectina, ressaltando que estão cometendo crime ao se negar a oferecer um tratamento precoce capaz de salvar vidas.


ATUALIZAÇÃO (06/12/2020): - Relação de médicos que utilizam o protocolo de tratamento precoce contra o Covid-19. Listagem em construção constante. linktr.ee/AtendimentoPrecoceCOVID19


Live com Thiago Braga:

Teaser do documentário LOCKDOWN - Uma História de Desinformação e Poder, a ser lançado em breve na plataforma Aurora Prime.

Canal de Alessandro Loiola no Telegram