• Davi Eler

As sete virtudes cristãs (6/7): Fortaleza



“Segundo a doutrina de São Tomás, a virtude da fortaleza encontra-se no homem que está pronto a afrontar o perigo e a suportar a adversidade por uma causa justa, pela verdade, pela justiça etc. A virtude da fortaleza requer sempre alguma superação da fraqueza humana e, sobretudo, do medo. O homem, por natureza, teme espontaneamente o perigo, os dissabores e os sofrimentos. É preciso, por isso, procurar os homens corajosos não só nos campos de batalha, mas também nas salas de um hospital ou num leito de dor. Tais homens se podiam encontrar muitas vezes nos campos de concentração e nos locais de deportação. Eram autênticos heróis”.

Essas palavras foram ditas pelo Papa João Paulo II, em 15 de novembro em 1978. Neste período, o mundo tinha visto — e ainda via — inúmeras atrocidades como campos de concentração, gulags, guerras, bombas e muito mais. E aqui nos é ensinada uma lição importantíssima sobre a virtude da fortaleza.


Para exercê-la não precisamos necessariamente estar em um campo de batalha, exercendo a força física de forma superior ao nosso inimigo. Mas superar nossos medos, nossas adversidades, isso também é utilizar esta virtude. Ela nos foi ensinada por Jesus exatamente para que possamos ser fortes nas perseguições.


Cristo sabia que muita dor e sofrimento aguardava seus seguidores e, por isso, atentava para eles não temessem os que matam o corpo e depois nada podem fazer, mas sim aquele que mata e depois pode lançar no inferno.


"E digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo e, depois, não têm mais o que fazer. Mas eu vos mostrarei a quem deveis temer: temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno; sim, vos digo, a esse temei" (Lucas 12:4 -5).


A questão aqui é entender que nenhum homem nesta terra tem o poder para mudar nosso destino eterno. O único que detém o poder da decisão do nosso destino final é Deus. Como está escrito no livro de Jonas 2:9, “a salvação pertence ao Senhor”.


Sendo assim, o único ser neste mundo que devemos temer é o próprio Deus. Ele é todo poderoso e justo e ele justamente nos condenaria ao inferno, se não fosse o sangue do Seu filho, que justificou e nos limpou de cada pecado.


Sabendo, então, que não devemos temer homem algum nesta terra, podemos fazer o que o que é moral e justo sem nos preocuparmos com a condenação dos homens. A virtude da fortaleza vem para nos ajudar a ter forças e para fazer o certo. Muitas vezes nós sabemos o que deve ser feito, mas não temos coragem para agir e é aí que entra esta virtude.


Este precioso ensinamento nos foi deixado pelo próprio Cristo e, depois, sistematizado por grandes homens como Ambrósio, Agostinho, Aquino e o próprio João Paulo II, o qual eu já citei no início do texto. E por meio desta bela virtude que nos foi ensinada, nós temos agora a coragem para fazer o que é moral e justo perante Deus.


No artigo anterior, eu estabeleci que somente a Bíblia pode ser parâmetro para o que é justo e moral. E a moral cristã bíblica muitas vezes é diferente da dos homens, por isso precisamos da virtude da fortaleza. Com ela, temos ânimo e coragem para enfrentar pessoas mais fortes e poderosas que nós, pois estamos fazendo o certo, o que a Bíblia diz que é moral e justo.


E como não tememos nenhum homem mais do que a Deus, nós agimos prontos para enfrentar as consequências, já que não importa o que o homem faça, só atingirá nosso corpo. Jesus nos deu algo que nenhum homem nesta terra pode tirar, a vida eterna.


Bom, caros leitores, para encerrar este artigo gostaria de dizer que: devemos, eu e você, refletirmos sobre esta virtude. Será que estamos mesmo agindo desta forma? Será mesmo que estamos temendo a Deus acima de qualquer outro homem ou estamos com mais temor de seres humanos do que do próprio Criador? O que está nos impedindo de fazer o que é moral e justo? Talvez seja o medo do que os homens podem fazer conosco. Mas e o temor do que Deus pode fazer?


Não devemos temer os homens, mas sim enfrentá-los. Assim como aconteceu com Davi e Sansão, Deus está ao nosso lado, Ele nos dá esta força para enfrentarmos os nossos inimigos. A alegria do senhor é a minha força.


Até a próxima e fiquem com Deus.