slider-1.png
  • Toon Felícia

Assassinato de bebês agora é um direito Humano


Foto: Um bebê de 12 semanas.


Em decisão no Parlamento Europeu por 378 votos a favor, 255 contra e 42 abstenções, O assassinato de fetos pela resolução aprovada passa a ser considerado um dos direitos humanos.


Segundo o site Crítica Nacional, a resolução não vinculativa que propõe a aplicação do chamado Relatório Matic sobre a chamada “situação da saúde sexual e reprodutiva e dos direitos na União Europeia na perspectiva da saúde da mulher”.


O fato é mais uma manobra macabra de legalização de uma prática homicida, que no discurso vazio de esquerdistas como um todo, alegam que esse tipo de política é necessária e eficaz como política de saúde reprodutiva da Mulher.


O parlamento com essa resolução, também classifica como negligência médica a negação do profissional em realizar o procedimento, ferindo a objeção moral de consciência.


Além disso, a resolução exorta a necessidade de facilitar o acesso à contraceptivos hormonais, políticas de fertilidade e maternidade, que como direitos não podem ser violados.


O texto ainda afirma que a proibição total do assassinato de bebês está caracterizado como violência de gênero, e citam como o exemplo a Polônia, que tem em seu arcabouço jurídico leis mais severas sobre a prática de tal crime.