slider-1.png
  • Shock Wave News

Carta de uma nora!


Por: Fernanda Chaves


Tu que és nora, talvez antes ou durante o casamento tu tenhas escutado da mãe do namorado ou esposo a famosa frase:

- Não era bem essa mulher que queria para meu filho, mas... Ele que escolheu, fazer o quê?!

Talvez ela esteja certa de tu não serdes a mulher sonhada para a vida desse pobre bebê que ela cuidou com tanto esmero, pois tu chegou e...


Estragou todo o plano dessa maravilhosa progenitora, pois a mulher ideal para o filhinho da mamãe seria uma drogada ou garota de programa, ou até aquelas feministas com seus empregos de alta patente que mal tem tempo para elas, dirá quando surge um rebento.


E elas ainda pensam em filhos? Trocar fraldas? Cuidar da casa? Ou a carreira está acima dessa coisa chamada família? E quem sabe se surgir uma criaturinha fora do roteiro, essas virtuosas mulheres cometem um interrompimento com o adjetivo bonitinho para ocultar a real monstruosidade chamado assassinato ou mais conhecido como aborto.


Talvez fosse essa a mulher certa para o filho, já que a nora ou a futura, não são o bastante por estarem na árdua busca por oportunidades ou estarem em empregos que aos olhos das sogras não sejam grande coisa, devido o salário ser de valor módico pois, o que vale é o quanto ganham e não o quanto valem.

Se bem que há noras com empregos de carreira gloriosa dispostas a consolidar com a maternidade e mesmo assim, é destratada porque são possíveis intrusas na família.


Ainda que para as senhoras são só mulheres comuns ou aproveitadoras, aos olhos do Eterno são mulheres excepcionais, que foram concedidas a elas a vida e a dádiva de somar com seu filho, gerar uma outra família e assim dar continuidade a uma nova geração e não roubar o seu “bebê” de mais de 20 anos.

Fechem seus olhos aos status e valores supérfluos e abram para a pessoa que elas são, a esposa bondosa, dedicada, e uma mãe sábia e amorosa a seus netos. Tu tens mais idade que elas, devia compreendê-las e não julgá-las, até porque as senhoras são sogras e não juízas.


Não podemos ignorar as exceções como Noemi, sogra de Rute, ambas tinham um relacionamento profundo que toda nora e sogra deveriam ter; um grande exemplo, como relata no livro de Rute 4. 15 com a seguinte reflexão... :


“ ela ( Rute) a ama e é melhor que sete filhos.”

Noemi foi mais que uma sogra, foi como uma mãe a Rute, repleta de bondade, zelo e respeito e por essas atitudes. Noemi foi muito abençoada e sua nora também, pois sua nora estava disposta a perder sua vida por ela se preciso fosse como está em Rute 1.17 :


“ Onde quer que morreres, morrerei eu, e ali serei sepultada”...

Caso vocês noras, tenham esse tipo de sogra, levantem as mãos para o céu e agradeça ao Senhor; se não tiver, ore e perdoe-as.


E sogras, sendo tu ou não uma Noemi, ainda que as desaprovem, apenas as respeitem, isso já é um início para haver uma relação harmoniosa entre seus filhos e vocês.


Lembrem-se: o amor que esses homens recebem são de vocês duas, um amor intenso que há dentro de si, logo o seu, que é o amor de mãe e o de sua nora, que é o amor de mulher; e por amor, vale a pena lutar e superar as divergências.