• Davi Eler

Democracia: A Solução?


Todos sabemos que na teoria a democracia moderna seria o governo da maioria, através da eleição de seus representantes. Dessa forma o povo iria reger as leis e regras de seu país, pois os homens eleitos teriam que obedecer a vontade da massa, certo?


Não. Neste artigo vou expor minha opinião dos motivos pelos quais, eu não acredito que a democracia (governo da maioria, ou do povo) seja o melhor método de comandar um país. Sei da dificuldade que terei, pois somos desde bebês ensinados a amar a democracia, e em nenhum momento nós questionamos isso. Então leitor, pelo menos tenha uma pequena reflexão em cima dos argumentos, e não discorde simplesmente por eu estar atacando a deusa democracia.


Primeiro eu gostaria de conceituar alguns termos. O ponto de crítica já foi elucidado acima, sendo assim partirei para os próximos. As pessoas tem a tendência de achar que por você ser contra a democracia, isso te torna automaticamente a favor da ditadura e da tirania, porém esta é uma grande mentira. Verdade seja dita, sou contra a democracia, mas jamais serei a favor de seres como Maduro, Fidel e Stalin. O que acredito é que: governar um país através da vontade do povo não é o melhor método, mas fiquem tranquilos eu explicarei meu ponto.


Feito então este esclarecimento de que eu não quero uma ditadura, posso prosseguir meus argumentos de crítica a forma democrática de se reger um país.


1. O meu primeiro argumento é o mais simples possível, olhem as

democracias ao nosso redor, e me digam uma que não se curvou aos poderes globalistas e comunistas. O fato é que a democracia cria uma classe de burocratas, que não precisam entregar um bom trabalho por falta de concorrência. “Como assim Davi? Lógico que tem concorrência, nós vemos uma verdadeira guerra da carne nas campanhas, e qualquer um pode se candidatar, sendo assim obviamente existe concorrência”. O problema é que TODOS os candidatos são iguais, claro que podem defender interesses e valores diferentes, mas no fim são todos farinha do mesmo saco; pois no Brasil por exemplo, você precisa de um partido para se candidatar, então no fundo o candidato precisará fazer parte da panelinha. Mas tem países aonde não é necessário, verdade, mas mesmo assim se o fórum eleitoral resolver que você não pode participar por ser radical demais, já era. No fundo toda essa liberdade que pensamos ter na democracia é uma grande mentira que nos contaram. Fora que toda aquela baixaria nas campanhas, é só um grande teatro, Então esse primeiro argumento é em cima da própria experiência.


2. O segundo é um pouco mais denso e baseado em uma premissa que

provavelmente a maioria não concordará, que é: a maioria é burra, a massa sempre é mais desinformada e mais manipulável do um pequeno grupo de pessoas inteligentes. Um pequeno grupo de estudiosos sempre terá a visão mais aguçada que o povão, até pelo motivo de a maioria das pessoas ter que trabalhar, pagar as contas e etc. Nem todos tem a oportunidade de passar a vida aprendendo e ensinando. Por isso para mim essa história de plebiscito e do povo no poder, não é uma boa opção. Talvez se pudéssemos nos organizar em um pequeno grupo (que não fosse eleito), de pessoas que se dedicassem ao estudo e não fossem submetidos à nenhuma autoridade, que não fosse Deus, e o líder escolhido por eles, que passaria seu poder de liderança de forma hereditária, eu acho que assim seria melhor.


3. O ponto que eu gostaria de focar agora não é bem um argumento, mas

um contra-argumento do pensamento de que a democracia é o mais justo. Quando eu era pequeno, na escola, e eu tinha que resolver alguma indecisão dentro de minha turma (era sempre eu que tentava resolver essas coisas), eu falava para fazermos uma votação, pois achava que a vontade da maioria seria o mais justo. Isso não é verdade, o mais justo é aquilo que é mais correto, moral e ético, mesmo que seja prejudicial para a maioria (que via de regra, não votará contra si conscientemente). O justo não é o que o povo decidi ser, mas sim o que Deus através da Bíblia nos disse que é. E será muito raro vermos a maioria votar, em algo que os prejudicará apenas pelo motivo de ser o certo. Penso que é mais fácil um pequeno grupo de homens liderados por um alguém forte, tomar esta decisão, de fazer o certo (o justo) mesmo que os prejudique.


E antes de terminar gostaria de esclarecer que eu não estou propondo de forma alguma uma tecnocracia. Não sou positivista, e discordo veemente deste ponto de vista. O que eu penso é mais pro lado de uma aristocracia nos termos de Aristóteles, tendo um líder forte. Apesar de também ter umas diferenças aqui e acolá.


Bom pessoal, queria concluir então este artigo pedindo, para você que chegou até aqui refletir sobre meus argumentos. Será realmente que a democracia é essa maravilha que nos venderam? E caso ao ler este texto você discordou, peço que me envie seus argumentos ou nos comentários, ou então no meu canal do telegrama (DaviEler1) em qualquer post. Mas por favor sem argumentos pífios e chulos, não me venha com: “Você é um ditadorzinho” ou então: “Argumentos idiotas”. Se for tentar refutar o que eu disse aqui, faça de forma inteligente, certo?


Fiquem com Deus e até a próxima.


Adicionar um título (1).png

© 2020 by  ShockWave Radio.

Faça parte de nossa Newsletter e receba as últimas notícias do Brasil e do Mundo