• Alexandre Nagado

Dragon Ball sendo cancelado em Valência, Espanha

Emissora regional espanhola proíbe o animê por "discriminação de gênero e sexismo"

No final de março, a popular série japonesa Dragon Ball, da Toei Animation, foi oficialmente proibida de ser exibida pelo canal À Punt Media, da região espanhola de Valência. Em comunicado oficial, um representante da TV alegou que, em respeito à legislação local que versa sobre "questões de gênero", o animê foi barrado por "conteúdo que encoraja a discriminação de gênero através de estereótipos e papéis sexistas". Ainda, acrescentou que os custos de licenciamento seriam altos para a empresa, mas o motivo principal foi mesmo ideológico.


Baseado em mangá homônimo de Akira Toriyama, Dragon Ball é um dos maiores sucessos da cultura pop japonesa e tem fãs pelo mundo todo. Com boa dose de violência e humor de apelo sexual bastante presente em sua primeira fase (algo comum no Japão dos anos 80), Dragon Ball foi concebido como obra infanto-juvenil. Os produtores da série não se pronunciaram sobre o caso.


Em vista do recente banimento, pela própria Warner Bros, de animações americanas clássicas como Pepe Le Pew (por suportamente incentivar a "cultura do estupro") e Ligeirinho (por "representação racial pejorativa"), esse caso de Dragon Ball parece ser apenas mais uma etapa da escalada do politicamente correto como régua definidora do que as pessoas podem ou não assistir.


Certamente, muita outras obras japonesas, com seus papéis masculinos e femininos bem definidos e humor politicamente incorreto, já estão na mira de militantes ideológicos.