• Amandaverso

Eleições 2020: Hackeamento e instabilidade no sistema marcam primeiro turno das eleições municipais.

Neste domingo (15), dia de eleições municipais no Brasil, o Tribunal Superior Eleitoral(TSE), lida com mais problemas: hackeamento e instabilidade. Durante a semana, o TSE negou que foi alvo de ataque virtual, porém hackers vazaram uma série de informações internas do Tribunal "para demonstrar a vulnerabilidade". De acordo com a reportagem do Olhar Digital, o vazamento foi exposto pelo CyberTeam. Segundo o grupo de hackers, a exposição das informações não tem necessariamente uma mensagem política, foi apenas uma forma de desmentir a alegação do TSE, que disse que não sofreu ataque virtual e que todas as informações estavam seguras.


Na quinta-feira(12), o TSE registrou uma queda nos sistemas e no mesmo dia esclareceu, em nota oficial, que a instabilidade foi motivada por uma sobrecarga interna do sistema e não por um ataque de hackers. Alguns serviços do TSE ficaram indisponíveis com a queda, como Processo Judicial Eletrônico-PJE, divulgação de candidaturas e sites dos TSEs e tribunais regionais. Para o CyberTeam, a vulnerabilidade do sistema que permitiu a invasão permanece aberta e ainda é possível acessar o banco de dados do Tribunal. Ao Olhar Digital, o grupo afirma que percebeu uma mudança de firewall após o primeiro ataque. O grupo ainda afirma que a invasão foi apenas uma forma de mostrar que os investimentos do Estado em cibersegurança, não são suficientes.


Sobre a instabilidade no aplicativo e-Titulo, o ministro Luiz Roberto Barroso, presidente do TSE, disse a pouco que é devido ao desligamento dos servidores para evitar ataques.


"O aplicativo passa por instabilidade por vazão excessiva. Até agora, ele já foi baixado 13 milhões de vezes, sendo que de ontem para hoje os downloads foram 3 milhões”, disse Barroso.


Segundo o ministro, ‘tentativas simultâneas’ foram detectadas, porém não houve nenhuma fraude nas urnas por hackers e que todas as tentativas já foram neutralizadas.


Com informações de Olhar Digital e Conexão Política.