slider-1.png
  • Amandaverso

Eleições americanas: Twitter censura denúncia de suposta fraude eleitoral.

Após suspensão de perfis que denunciaram problemas e fraudes nas eleições americanas, Twiiter censura postagem do tesoureiro da Internacional Democrat Union, aliança global de centro-direita. Confira:



Mike Roman, diretor de "Operações do Dia da Eleição" de Trump, é um ex-assessor da Casa Branca da Pensilvânia que reuniu denúncias de fraude eleitoral em 1993, resultando em uma decisão do tribunal que anulou os resultados eleitorais e fez seu candidato ocupar o Senado Estadual da Pensilvânia.


Em seu perfil na rede social, Roman postou um vídeo de uma mulher supostamente entregando várias cédulas de votação de uma só vez, o que não é permitido já que cada eleitor só pode entregar a sua cédula. A filmagem foi feita na Filadélfia, Pensilvânia:





Em pouco tempo o twitter censurou a denúncia e limitou a interação com a postagem. Segundo a plataforma: "Nós tentamos impedir que Tweets como este, que violam as Regras do Twitter, alcance mais pessoas. Portanto, limitamos a interação com eles."




Segundo o Associated Press, no mês passado na Pensilvânia, um advogado de campanha de Trump apresentou fotos de vigilância de três eleitores que pareciam estar depositando mais de uma cédula em uma caixa eleitoral. Segundo a lei estadual, os eleitores devem devolver suas próprias cédulas, a menos que sejam deficientes ou incapazes de fazê-lo por conta própria. No entanto, as autoridades eleitorais disseram que a campanha de Trump não produziu evidências suficientes para provar que os eleitores nas fotos estavam violando a lei.


A medida que mais denúncias de fraudes e problemas nas máquinas eleitorais aparecem, mais trabalho para censurar os republicanos o Twitter tem.