• Shock Wave News

Ex-assessor-chefe de Clinton: Bill foi para a ‘Ilha Pedo’ de Epstein


Um ex-assessor de Bill Clinton afirmou que o ex-presidente realmente visitou a famosa ilha de Jeffrey Epstein, apesar de repetidas negações, e que sua filha Chelsea Clinton também tinha um relacionamento com Epstein e Ghislaine Maxwell.


Doug Band, que anteriormente acusou o Chelsea de usar fundos da Fundação Clinton para pagar seu casamento, fez as alegações em uma entrevista à Vanity Fair.


“Band disse que não tinha ideia sobre os crimes sexuais de Epstein naquela época, mas teve vibrações ruins o suficiente para aconselhar Clinton a encerrar o relacionamento”, observa o relatório.


Ele continua “Clinton continuou socializando com Epstein e pegando seu dinheiro. Em 2006, Epstein doou US $ 25.000 à Fundação Clinton. Clinton fez mais de duas dúzias de viagens no jato de Epstein nessa época, mostram os registros de voo de Epstein. ”


“Em janeiro de 2003, de acordo com Band, Clinton visitou a ilha caribenha particular de Epstein, Little St. James. Band disse que foi uma das poucas viagens que ele se recusou a fazer em seu tempo com Clinton ”, observa o relatório.


Band observa que Ghislaine Maxwell foi convidada para o casamento de Chelsea Clinton em 2010, apesar do fato de que então se soube que Epstein havia cometido crimes sexuais envolvendo meninas menores de idade.


As notas do relatório:


O Chelsea tinha ligações com Epstein e Maxwell, disse Band; ele me mostrou uma foto de Bill e Chelsea posando com Epstein e Maxwell no casamento do Rei do Marrocos. Chelsea permaneceu amiga de Maxwell por anos depois que a imprensa revelou que Maxwell era um colaborador próximo de Epstein. Por exemplo, Chelsea convidou Maxwell para seu casamento em 2010 na propriedade Brooke Astor em Rhinebeck, Nova York, depois que Epstein se confessou culpado na Flórida por obter sexo de um menor.

Band diz que havia um motivo importante para Maxwell estar no casamento. “Ghislaine tinha acesso a iates e belas casas. Chelsea precisava disso ”, observa o ex-assessor.


Band disse na entrevista que foi apenas em 2011 que ele começou a dizer aos funcionários de Clinton para tirarem Maxwell de cena.


“Eu sabia, ao dizer a todos para pararem de incluir Ghislaine, que Chelsea e seu pai ficariam muito bravos. Tornou mais difícil para eles justificar a proximidade com ela ”, diz Band.


As alegações de Band de que Bill Clinton visitou a notória ‘pedo island’ combinam com os documentos judiciais não lacrados no Ghislaine Maxwell, que revelaram que uma testemunha afirma ter visto o ex-presidente lá com Epstein, Maxwell e "duas meninas"


Os documentos também ecoam afirmações feitas anteriormente por um ex-trabalhador na ilha de Epstein em um documentário da Netflix.


As alegações vão contra as negações de Clinton de que ele tenha visitado a ilha, que foi supostamente o local de múltiplas agressões sexuais de mulheres menores de idade pelo pedófilo condenado Epstein e seus convidados de elite.