• Amandaverso

FRANÇA SOB NOVO LOCKDOWN.



O presidente da França, Emmanuel Macron, decretou nesta quarta-feira (28) um novo lockdown em todo o território nacional. Segundo o presidente, a medida é para "conter 2ª onda" do vírus chinês. O confinamento começou na sexta-feira(30) e deve durar pelo menos até 1º de dezembro - a medida será reavaliada a cada 15 dias. Em seu pronunciamento, Macron disse que "o vírus está circulando a uma velocidade que mesmo as previsões mais pessimistas não antecipavam" e que "400.000 pessoas morrerão se medidas não forem tomadas". Após o discurso de Emmanuel Macron, o Primeiro-Ministro francês, Jean Castex, explicou à imprensa, na quinta-feira(29),as modalidades da contenção instaurada a partir da meia-noite de sexta-feira.



Acompanhado por vários ministros, Jean Castex detalhou a implementação das novas restrições. Confira: COMÉRCIO: Os bares, restaurantes e lojas não essenciais serão fechados. Para algumas lojas, como livrarias, será possível abrir sem o público a fim de fazer "click & collect"(compra online e retirada de mercadoria no local). EDUCAÇÃO: As creches e escolas permanecerão abertas, com um protocolo de saúde reforçado. As máscaras serão obrigatórias para alunos a partir dos 6 anos de idade.


“A escola é um espaço seguro porque ali aplicamos gestos de barreira mais do que em qualquer outro lugar”, explica o ministro da Educação, que afirma ser fundamental deixar as escolas abertas. Para universidades, os cursos devem ser ministrados online. "Apenas o trabalho prático e o treinamento vocacional que requerem equipamento especializado podem ser continuados pessoalmente", explicou Jean Castex. Os exames e concursos decorrerão com protocolo reforçado, as bibliotecas serão abertas com hora marcada e sujeitas a um agendamento. As atividades de pesquisa devem continuar remotamente sempre que possível. EMPRESAS: O trabalho é obrigatório 5 dias por semana para todos aqueles que podem exercer suas atividades a distância. “Para trabalhos que não possam ser realizados remotamente será necessário ter um certificado do empregador, que será obrigado a acertar os horários de entrada e saída, a fim de limitar multidões durante o horário de pico", explicou Élisabeth Borne, ministra do Trabalho. ECONOMIA: Os mecanismos de apoio às empresas, como o fundo de solidariedade, o empréstimo garantido pelo Estado e a isenção de encargos, são mantidos e reforçados. Durante o confinamento, 15 bilhões de euros por mês serão destinados a ele.


“Fortalecemos todos os sistemas de apoio às empresas. O fundo de solidariedade será reativado para todas as empresas e maciçamente reforçado durante o período de confinamento”, anuncia o ministro da Economia. CULTURA: Serão permitidas filmagens, ensaios e gravações sem audiência durante o confinamento. RELIGIÃO: Os locais de culto permanecerão abertos, mas as cerimônias religiosas serão proibidas a partir de segunda-feira, 2 de novembro. Uma exceção será feita para funerais até o limite de 30 pessoas e para casamentos até o limite de 6 pessoas. "Será aplicada uma tolerância para as cerimônias planejadas para este fim de semana de Todos os Santos, bem como para viagens a cemitérios e floriculturas”, disse o chefe de governo.

DESLOCAMENTO: Passeios autorizados por apenas 7 motivos e com certificado de autorização. A partir de sexta-feira(30) à meia-noite, só será possível sair com certificado e apenas pelos seguintes motivos. Caso contrário, será aplicada uma multa de 135 euros. • Compra de alimentos. • Ida e volta do trabalho para exercer uma atividade profissional sem a capacidade de fazê-lo remotamente. • Razões médicas, ir ao hospital, a um médico. • Razões familiares convincentes, assistência a pessoas vulneráveis ​​e precárias. • Para uma intimação judicial ou administrativa. • Para participação em missões de interesse geral a pedido da autoridade administrativa, tais como patrulhas de associações ou distribuição de ajuda alimentar a domicílio. • Saída de até uma hora para fazer atividade física, tomar um pouco de ar fresco ou levar um animal de estimação para passear. Uma saída que não pode ser feita além de 1km de casa.


Viagens entre regiões do país estão proibidas e as fronteiras com países da União Europeia permanecerão abertas. Cidadãos franceses que estiverem no exterior podem retornar ao país.


No domingo (25), a França registrou novo recorde de contaminações diárias; 52.013. Macron disse que a 2ª onda "sem dúvida será mais difícil e mortal do que a primeira" e que a meta é reduzir de 40 mil para 5 mil novos casos por dia.


*Com informações de La Croux e AFP.



Adicionar um título (1).png

© 2020 by  ShockWave Radio.

Faça parte de nossa Newsletter e receba as últimas notícias do Brasil e do Mundo