slider-1.png
  • Mr Red

General-Almirante de Wadhiya une-se à China e reconhece governo do Talibã no Afeganistão



O ditador reconheceu o Talibã como legítimo governador do Afeganistão: "Qualquer um que queira derrubar um regime democrático será digno de meu apoio"


Hua Chunnyng disse na última segunda-feira (16) que a China "respeita o direito do povo afegão a decidir seu próprio destino e futuro e deseja seguir mantendo relações amistosas e de cooperação com o Afeganistão", afirmou à imprensa a porta-voz da diplomacia chinesa,


Alguns dias após essa declaração, o ditador de Wadhiya saldou os "irmãos na luta contra a democracia" e disse que gostaria de conversar com o Talibã assim que voltasse do seu retiro "espiritual" em um de seus haréns.


A declaração foi feita pelas suas redes sociais, mas, devido a falta de trajes de algumas mulheres, o vídeo foi rapidamente retirado do ar.


"Queridos irmãos na luta contra a democracia. Lamento a falta de trajes apropriados para tal anúncio, mas, como veem, estou um pouco ocupado e o feito logrado merece uma imediata congratulação", disse o General-Almirante com uma garrafa de vodka na mão. "Assim que sair de meu 'retiro espiritual' gostaria de uma conversa com seus líderes para o estreitamento das relações entre nossas gloriosas nações".


O ditador complementou que possivelmente estará disponível na próxima quarta-feira (25), pois precisará "recuperar suas energias" após retornar do "retiro espiritual". A pessoa que gravou a mensagem esqueceu a câmera ligada por alguns segundos a mais e acabou capturando uma fala extra:


"O que?", disse o ditador, "Aquele cara de ursinho Pooh já declarou apoio a eles? Mas por que você não me alertou sobre isso antes, seu imbecil?" e logo o vídeo é encerrado. Infelizmente não conseguimos identificar a quem Aladeen fazia menção.


Paulo Fernando, o texto é humorístico!