slider-1.png
  • Alexandre Nagado

Hikaru Utada: Mx

Estrela da música japonesa faz declaração polêmica

Recentemente, a renomada cantora e compositora japonesa Hikaru Utada anunciou que se considera uma pessoa "não-binária", neologismo alinhado à Ideologia de Gênero.


No último dia 18 de junho, ela usou seu espaço em uma live com o diretor Hideaki Anno para dizer que se sente "desconfortável" por ser marcada pelo estado civil ou sexo. Além de não se sentir nem mulher e nem homem o tempo todo, ela também deixou claro que não se sente nem comprometida e nem solteira o tempo todo, sendo que ela já passou por dois divórcios. Ao invés de "Ms" ("senhorita" ou mulher solteira) ou "Mrs" ("senhora", no sentido de mulher casada), ela prefere ser chamada de "Mx" (lê-se "mix"), mostrando em seu Instagram uma assinatura como "Mys. Utada" (de "mystery").


Hikaru Utada explodiu nas paradas musicais de seu país logo em seu álbum de estreia, First Love (de 1999), que vendeu mais de 8 milhões de cópias. A canção que dá nome ao álbum foi lançada como single e se tornou conhecida pelo público da rádio Antena 1, sendo bastante pedida durante um tempo.


Em março passado, ela lançou o single "One Last Kiss", tema do mais recente longa da saga Evangelion. Sua canção mais recente é "Pink Blood", tema do animê To Your Eternity.


Hikaru Utada é uma das personalidades mais influentes e prestigiadas da mídia japonesa e suas declarações se alinham à postura de alguns outros artistas que decidiram embarcar no uso de termos neutros e derivados da Ideologia de Gênero, que avança rapidamente sobre a mídia e a sociedade japonesa, com menos resistência até do que existe no ocidente.


"One Last Kiss" - Hikaru Utada