• Amandaverso

Mídias internacionais repercutem decisão da justiça brasileira contra ONG abortista.




No dia 27 de outubro, o Brasil recebeu a notícia de que o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu que a ONG internacional Católicas pelo Direito de Decidir não poderia mais usar em seu nome o termo "Católicas."


A decisão do TJ atendeu o pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura e contou com a ajuda da deputada federal Chris Tonietto.


O relator do recurso, desembargador José Carlos Ferreira Alves, disse em seu voto que a atuação concreta e a finalidade da associação requerida revelam "pública, notória, total e absoluta incompatibilidade com os valores mais caros adotados pela associação autora e pela Igreja Católica de modo geral e universal".


"Ao defender o direito de decidir pelo aborto, que a Igreja condena clara e severamente, há nítido desvirtuamento e incompatibilidade do nome utilizado em relação às finalidades e atuação concreta da associação, o que viola frontalmente a moral e os bons costumes, além de ferir de morte o bem e os interesses públicos."


Após repercussão em todo território nacional, mídias católicas do mundo todo noticiaram a decisão:


O InfoCatólica - jornal digital espanhol - informou que "Centro Dom Bosco teve que demonstrar que tinha autoridade católica legítima para solicitar a eliminação do termo "católico".


No site do jornal digital The Catholic World Report, a reportagem traz a fala de Chris Tonietto após a decisão: “O nome foi considerado subversivo porque perverte o significado do próprio catolicismo”.


No Instagram da associação, o Centro Dom Bosco comemorou a repercussão e disse que "isso possibilitará que outros grupos fora do Brasil possam remover o Santo nome das bandeiras pró-assassinato de inocentes.":



Adicionar um título (1).png

© 2020 by  ShockWave Radio.

Faça parte de nossa Newsletter e receba as últimas notícias do Brasil e do Mundo