• Alexandre Nagado

Mangá da Patrulha Estelar no Brasil

Clássico japonês será publicado em edição especial.

Capa original, com a

arte de Leiji Matsumoto.


A extinta TV Manchete (1983~1999) foi uma emissora que se consagrou entre fãs de heróis japoneses no Brasil por ter exibido dezenas de produçes. Jaspion, Changeman, Cavaleiros do Zodíaco, Jiraiya, Sailor Moon, Shurato, Yu Yu Hakusho e muitos outros títulos. A lista é enorme e fala à memória afetiva de muita gente na casa dos 30 e 40 anos. Mas antes dos fenômenos de audiência, lá no começo da emissora (entre 1983 e 84), a programação infantil já exibia produções japonesas, como o Pirata do Espaço, Don Drácula, D´Artagnan e Os Três Mosqueteiros e Super Aventuras, além de uma saga espacial que cativou os adolescentes da época: Patrulha Estelar.


Foram duas séries (fases II e III) exibidas no Brasil, mostrando as aventuras da tripulação do Cruzador Espacial Argo para defender a humanidade de inimigos como o Cometa Império, os Gamilons e a Federação Polar. Suas histórias eram dramáticas, carregadas de valores nobres e honra, com uma trilha sonora de nível cinematográfico.

O cruzador Argo, ou melhor, o Encouraçado Espacial Yamato.


O animê, que foi exibido primeiro nos EUA, teve lá seu nome - e o de vários personagens também - alterado para Star Blazers, o que apagou a verdadeira origem da série. No Japão, a saga da Patrulha Estelar é conhecida como Uchuu Senkan Yamato, ou Encouraçado Espacial Yamato. Esse nome remete à inspiração da obra, que se perdeu na adaptação americana. A poderosa espaçonave da série, na verdade, fora construída a partir dos destroços do maior navio de batalha da Segunda Guerra Mundial, o encouraçado Yamato, afundado em 1945.


Obra icônica em seu país, a versão para cinema da série de TV original, dos anos 70, criou uma enorme explosão de popularidade na indústria do animê, um fenômeno cultural que ficou conhecido como Anime Boom.


Produzido em paralelo à série de TV de 1974, houve também um mangá, assinado pelo hoje lendário autor Leiji Matsumoto. Ele também criou o personagem Capitão Harlock e dirigiu as animações do grupo francês Daft Punk, que formaram o longa Interstella 5555 (de 2003).

Capa da edição brasileira.


No mangá de Uchuu Senkan Yamato, é contada uma história similar à da série de TV original, que não passou no Brasil. No ano 2199, o conquistador Império Gamilas (Gamilon) ataca a Terra com bombas radioativas que envenenam a atmosfera e forçam a população a viver nos subterrâneos. Com tecnologia de salto no hiperespaço, o Yamato parte para o planeta Iscandar, cuja bondosa rainha Star-sha oferece ajuda. É quanto entra em cena o General Desslock, o líder inimigo, que parte para tentar destruir o Yamato.


Essa dramática saga foi publicada no Japão em capítulos na revista Bouken OH ("Rei da Aventura") e rendeu três volumes compilando toda a obra.


Com o título Patrulha Estelar - YAMATO, o clássico mangá será lançado no Brasil em volume único pela Editora NewPOP. A empresa tem em seu catálogo tanto obras modernas como Toradora!, Happiness e Great Teacher Onizuka, quando clássicos de Osamu Tezuka e Go Nagai. Anunciado em 2019, o Yamato da NewPOP entra em pré-venda em janeiro, com lançamento a ser divulgado ainda neste primeiro semestre.


Saiba mais:

- Yamato - Muito além da Patrulha Estelar


Extra: Abertura da terceira fase da Patrulha Estelar.


Adicionar um título (1).png

© 2020 by  ShockWave Radio.

Faça parte de nossa Newsletter e receba as últimas notícias do Brasil e do Mundo