slider-1.png
  • Saul Berenson

Ministro Marcos Pontes teria barrado nomeação de advogada conservadora para secretaria chave

O ministro teria decidido pela manutenção de um coronel da era Lula na Secretaria de Radiodifusão

Segundo um relatório da Polícia Federal o jornalista Allan dos Santos teria tentado indicar um nome para assumir a Secretaria de Radiodifusão do governo federal. Em um tom como se o jornalista tivesse praticado um crime absurdo, a grande mídia divulgou conversas privadas que acompanham o teor do relatório.


As conversas mostram que o jornalista independente Allan dos Santos apoiou a nomeação da advogada e jornalista Júlia Zanatta para assumir a Secretaria de Radiodifusão no lugar do coronel da reserva Elifas Chaves Gurgel do Amaral.


A advogada e jornalista Júlia Zanatta, que se define como conservadora e bolsonarista, foi candidata a prefeita em Criciúma, cidade polo no sul de Santa Catarina, pelo Partido Liberal. Segundo demonstra em suas redes sociais, possui uma longa amizade e muito próxima com o deputado federal Eduardo Bolsonaro.


Já o coronel Elifas, provém de uma longa atuação em cargos chaves em alguns governos, tendo sido presidente da Anatel durante o primeiro governo do então presidente Lula. Foi conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações durante o período de 05/11/2004 a 04/11/2005 e presidente da agência reguladora entre 06/04/2005 a 03/11/2005. Também integrou a equipe do Tribunal Superior Eleitoral que desenvolveu as urnas eletrônicas utilizadas nas eleições brasileiras a partir de outubro de 1996.


Conforme parte das mensagens trocadas com o jornalista Allan dos Santos, Júlia Zanatta deixa a entender que Eduardo Bolsonaro teria dito que o ministro Marcos Pontes estaria "no meio", como um obstáculo para a nomeação no lugar do coronel Elifas.

Apesar da grande mídia ter tratado a intermediação para uma nomeação limpa como um grande crime praticado pelas partes, o que passou desapercebido pela militância bolsonarista é que um ministro do governo do presidente Jair Bolsonaro barrou a nomeação de uma bolsonarista para uma pasta chave, preferindo um coronel de confiança da era Lula.


Outro fato minimamente curioso é a unanimidade, na época, que o coronel teve entre os senadores governistas da base Lula em uma comissão que apreciou sua indicação para o cargo de Membro do Conselho Diretor da Anatel. Entre os senadores: Antônio Carlos Valadares (PSB), Sibá Machado (PT), Fátima Cleide (PT), Ana Júlia Carepa (na época PT, hoje PCdoB) e Ideli Salvatti (PT).

Atualmente, o cargo de Secretário de Radiodifusão é ocupado por Maximiliano Salvadori Martinhão.