• Evandro Pontes

Natal


Um dos assuntos mais espinhosos da Teologia Cristã está no Significado Divino do Natal.


Seria muita ousadia sequer tentar resumir a questão onde o propósito é o de informar o leitor.


Mas cabe aqui uma reflexão importante e que, dispensadas as interpolações pagãs e judaicas sobre a data que antecede até mesmo o nascimento do próprio Cristo, cumpre notar que o 2020º Natal da História da Humanidade irá assumir um valor existencial especial.


Sempre que o ideal revolucionário e devastador de matrizes conservadoras é posto em prática, é o Natal que se torna alvo último desse ideal.


Por isso tantos literatos da Era Moderna se esforçam, em seus Contos de Natal, por manter o Significado Divino do Natal bem aceso, como a chama de uma única vela que tenta iluminar uma câmara escura.


Dostoiévsky fez sua parte; Machado, item.


Artistas e guerreiros pintaram, esculpiram e louvaram o Natal ao longo desses dois milênios.


É nessa data em que o mundo reflete sobre o significado da presença de Cristo na Terra.


E é por essa razão que o ataque derradeiro de um revolucionário tem por crepúsculo o Natal: a URSS aboliu o Natal, da mesma forma que os jacobinos e bonapartistas cem anos antes; o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores da Alemanha adaptaram a data integralmente aos propósitos seculares do partido e praticamente todas as ditaduras comunistas seguiram o exemplo soviético.


Teocracias islamo-fascistas como a Somália proibiram o Natal há décadas. Lá comemorar o Natal pode dar cadeia. A Somália é um dos sete países que integrou o "visa ban" de Trump. É a terra Natal da ultrarradical comunista e antissemita Ilah Ohmar. É também um dos quatro países (ao lado de Brasil, Paquistão e Iraque) a ter um Ministério de Direitos Humanos. A Somália também preside a Comissão de Direitos Humanos da ONU.


Políticos de todo mundo globalista e comunista, apoiados pela ONU e pela OMS, querem proibir as famílias de comemorar o Natal este ano. Já há propaganda no sentido de fazer você ter medo do Natal, associando esta comemoração à doença. O silêncio do Papa Francisco sobre as ameaças globais perante o Natal poderá ser a prova divina fatal de que a Santa Madre Igreja é hoje comandada pelo próprio Anticristo. Se o Papa não for capaz de comandar a Salvação do Natal em 2020, dará o sinal de que lado está.


O Natal já teve o condão de interromper a 1ª Guerra Mundial e todos sabem de seu potencial curativo quando o tema em questão é a "Paz Mundial" e a "Ordem da Vida". Todos inclusive o Papa.


Ditadores temem o Natal, literalmente, de forma similar ao temor que o Diabo sente diante da Santa Cruz.


E este ano o Natal é seu último bastião, leitor: mas não mais de "liberdade" e sim de existência.


A liberdade você já perdeu.


Se perder o seu Natal este ano, você deixará de existir como gente, como ser humano.


Este Natal é a última chance que Deus lhe dará para que honre a remanescente virtude com que você foi brindado ao nascer: a sua existência.


Celebrar o Natal será um ato de coragem consigo mesmo e com a sua família.


Esqueça Descartes: a frase agora é - celebro o Natal, logo existo.

Adicionar um título (1).png

© 2020 by  ShockWave Radio.

Faça parte de nossa Newsletter e receba as últimas notícias do Brasil e do Mundo