• Saul Berenson

Novo foguete usado pelo Hamas é brasileiro

Os terroristas do Hamas dizem estarem usando um novo foguete capaz de burlar o sistema de defesa israelense Iron Dome, conhecido como Cúpula de Ferro.

Segundo informações do jornal The Times of Israel as brigadas Izz al-Din al-Qassam emitiram um comunicado dizendo: "Pela primeira vez, utilizamos a tática de disparar os mísseis Sijeel contra Ashkelon, que têm um alto poder destrutivo e conseguiram superar a Cúpula de Ferro".


O que é o míssil Sijeel? Trata-se de um foguete brasileiro produzido pela empresa Avibras Indústria Aeroespacial S/A, sediada em São José dos Campos, interior do estado de São Paulo. Essa empresa, criada em 1961 por engenheiros do ITA, opera no setor de defesa nacional e internacional, projetando, desenvolvendo e fabricando armas convencionais.


Nos anos 80 a Avibras desenvolveu o sistema de lançamento de foguetes Astros II, fornecendo o armamento para vários países, entre eles o Iraque e a Arábia Saudita. O Astros II e seus foguetes foram usados por Saddam Hussein na guerra contra o Irã. Também foram usados na Guerra do Golfo por ambos os lados, uma vez que a Arábia Saudita fazia parte da coalizão liderada pelos EUA.


Conforme pesquisa realizada em materiais de conclusão de curso do Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes do Exército brasileiro, podemos constatar quais foguetes são operados pelo sistema Astros II:

E também:

A nossa atenção deve se voltar ao foguete SS-60, também produzido pela empresa brasileira Avibras e que normalmente é lançado a partir do sistema Astros II. Como dito anteriormente, esses armamentos foram vendidos para alguns países árabes, e no Iraque o foguete SS-60 é conhecido como Sijeel, o foguete usado pelo Hamas nos últimos ataques contra Israel desde o dia 11 de maio.


Para não restar dúvidas sobre a origem do foguete Sijeel, confira abaixo alguns trechos retirados de um documento oficial do governo americano sob o título de "Audiência do Subcomitê de Controle de Armas, Segurança Internacional e Ciência do Comitê de Assuntos Estrangeiros, 102º Congresso, Segunda Sessão, 3 de março de 1992, Impresso para uso da Comissão de Relações Exteriores":

O mesmo foguete Sijeel, ou SS-60, é usado pela Arábia Saudita na guerra do Iêmen contra os rebeldes Houthis patrocinados pelo Irã, conforme as imagens abaixo:

O problema é: como esses armamentos foram cair nas mãos de uma organização terrorista? A Arábia Saudita, por exemplo, é um Estado que compra essas armas da empresa Avibras, algo comum e natural. Mas não se pode fechar os olhos para o fato de que agora o Hamas diz estar usando essas armas contra Israel.


Quem está vendendo os foguetes de fabricação brasileira para o grupo terrorista Hamas?

2 comentários