slider-1.png
  • F. Wronski

O bolsonarismo quer defender um Bolsonaro da idealização, mas acaba defendendo o que está aí



Texto por Ramon


Até 2018, muitos de nós acreditamos nas promessas de um presidente que enfrentaria o comunismo e peitaria o sistema nas suas mais diversas formas. O Bolsonaro candidato e o Bolsonaro presidente são duas personalidades distintas, mas por que ainda hoje muitos apoiam o Bolsonaro presidente como se ele ainda fosse o candidato no qual votamos? Como as pessoas podem, ainda, ver nele uma barreira contra o comunismo? O que ele fez contra tal ideologia durante todo o seu tempo de governo? Como os bolsonaristas podem estar tão deslocados da realidade para ainda apoiarem um Bolsonaro da fantasia?

Muito diferente do Bolsonaro candidato que muitos de nós apoiamos, o Bolsonaro presidente não está preocupado com a contra-revolução e a guerra cultural. Pensamos estar defendendo um projeto de Brasil, enquanto estávamos defendendo o seu projeto pessoal. Muitos alegam que ele não pode bater no sistema, mas primeiro, por que ele não disse isso antes de votarmos nele? Segundo, isso é uma falácia, Bolsonaro não tem vontade de bater no sistema, não é que ele somente não tenha força para isso, é que ele não quer mesmo. Não há o que justificar, é inexistente qualquer mínimo esforço do Bolsonaro para combater o sistema.


Os bolsonaristas nos ameaçam com gritos de “Apoiem meu mito se não a esquerda volta”. Mas a esquerda nunca saiu, pelo contrário, se fortaleceu ainda mais no governo atual.


“Direitos Humanos”


Um dos principais alvos do candidato Bolsonaro era relacionada ao Ministério dos Direitos Humanos, que sofria duras críticas por parte do mesmo, que chegou a chamar o Ministério de “esterco da vagabundagem”1. Ainda mais convicto de suas posições, Bolsonaro aparece em vídeo discursando contra o mesmo ministério2. Não há quem negue a fama de Bolsonaro de criticar tal ministério antes de ser eleito.


O que mudou? Para fazer Bolsonaro não só manter, mas aumentar o tamanho do Ministério dos Direitos Humanos?3 Transformando-o em “Ministério da mulher família e direitos humanos”, usado para promover as pautas identitárias, avessas aos valores do eleitorado que o colocou na presidência.


Damares é anunciada em 06 dezembro de 20184, e já chega falando nas condições das mulheres e dos indígenas. Já no segundo dia de governo, Damares diz que “Os direitos da comunidade LGBT serão respeitados”5 Mas tudo isso era, ainda, o começo e muitos não estavam nem perto de entender o problema, ainda mais que logo na primeira semana ela pareceu confrontar a política LGBT, com a polêmica dos “meninos de azul e meninas de rosa”6. Uma direita entusiasmada e movida por digital influencers “passa-panistas”, foi incapaz de começar a notar naquela época quem realmente era Damares. Acontece que as políticas públicas identitárias cresceram no governo “conservador” que elegemos, e com o tempo isso ficou cada vez maior.


Tragamos agora notícias relativamente mais recentes (pois falar de tudo que esse Ministério andou fazendo daria um ou mais artigos à parte) com algumas notícias dos últimos meses (não estarão dispostas em ordem cronológica).


Com relação às máscaras, Damares protagonizou um apoio forte ao uso por parte de crianças8, especialmente reprovável pois as mesmas estão sendo submetidas desde cedo ao terror e à imposição do totalitarismo.


E o que dizer da lei 14.1329, de 31 de março (que data) de 2021? Sancionada pelo Presidente da República (lindo e conservador), junto ao Ministério de Damares, que acrescenta ao Decreto-Lei 2848, de 07/12/1940 (anteontem) o agravante de perseguição “contra mulher por razões da condição de sexo feminino”. Mas este não era o governo que iria combater as pautas da esquerda?!


Mencionemos, agora, a contribuição de Damares para o crescimento do futebol feminino10, ou, imposição da agenda feminista11 em uma área que simplesmente gera pouquíssimo interesse entre as mulheres, mas bastante interesse entre as feministas, que não se conformam em ver o principal esporte nacional ser praticado majoritariamente por homens. O que não tem nada a ver com discriminação, assim como a pouca presença de homens na ginástica, comparativamente.


Ainda dentro das pautas feministas, o MDH lança no fim de 2020 uma campanha de combate à violência política contra a mulher12, mais um passo para o fortalecimento da agenda identitária na política brasileira13, e principalmente o fortalecimento da falsa noção de “representatividade”, uma vez que o fato de um político ser mulher, negro, homossexual ou o que for não significa que ele represente os interesses de todas as pessoas que fazem parte de tais grupos.


Lei Aldir Blanc


Outra coisa muito criticada pela direita brasileira antes da eleição de Bolsonaro foi a Lei Rouanet, que segundo os direitistas servia para beneficiar artistas de esquerda (ou só gente querendo dinheiro independente de ideologia definida) e estes ajudarem os governos de mesma linha ideológica, legitimando-os com sua “autoridade” de pessoa influente na opinião pública. E apesar de a lei ter sido modificada no governo atual14, há hoje uma lei semelhante que continua sendo financiada com dinheiro público, a Lei Aldir Blanc, que nasceu com a justificativa de auxiliar projetos culturais afetados pela quarentena forçada pelas autoridades diante do Corona vírus.


Dentre os projetos financiados com o dinheiro público, estava o “Roda Bixa” com o projeto “Criança Viada Show”, que foi denunciado pela Shock Wave, tanto no site15 quanto em live16 (que hoje está disponível só para membros). Mais fatos sobre essa lei foram expostos no canal da Shock Wave no Telegram17, bastando pesquisar as palavras-chave “Lei Aldir Blanc”.


Assistencialismo


O assistencialismo era outro ponto muito criticado por Bolsonaro e seus apoiadores. Do jeito errado, ele pode ser usado para manter os beneficiados votando nos políticos que oferecem determinado benefício, além de não estimular as pessoas a saírem da pobreza.


Mas com a Covid-19, nasceu o “assistencialismo do bem” o “assistencialismo didireita”. Afinal, se vem da esquerda é ruim, mas se a mesma coisa vem de Bolsonaro é bom, “se não a esquerda volta”. Nesse contexto nasce o Auxílio Emergencial16.


Como sabemos, existe maneiras corretas de o governo ajudar os mais necessitados, sobretudo ajudando-os a sair da situação de necessidade e não a se manter confortável nela recebendo dinheiro do estado e consequentemente apoiando o governante que deu dinheiro.


O que era para ser uma ajuda temporária, que não seria problema, além de ser coerente com o tipo de proposta que a direita traz, está em vigor até hoje17.


Alguns pontos recentes


. Eu poderia continuar, mencionando outros pontos que estão esquecidos ou foram deixados de lado, como a flexibilização do porte de armas (que até caminhou um “pouquiiiinho”), a redução da maioridade penal, a diminuição do estado, além de falar do apoio às vacinas e elogios à China. Mas não vou me estender. Abaixo algumas ações mais recentes de Bolsonaro, que demonstram que ele não está lutando pelo conservadorismo.


Violência psicológica


No governo “mais conservador da história”, estamos vendo o crescimento de pautas identitárias, como já mencionado. E se já não bastasse toda a cultura de ódio aos homens que o feminismo vem trazendo, Bolsonaro assinou recentemente a lei da “violência psicológica contra a mulher”, na qual todo homem que ouse deixar uma mulher insatisfeita por algum motivo (que ela vai decidir), poderá ser preso (sabemos que a ambiguidade da lei não fala com essas palavras, mas essa é a função da ambiguidade). Mas não é uma maravilha? Quem precisa do Haddad pra assinar uma coisa assim?


Privatização fake

As privatizações estão entre as principais ideias do movimento conservador que cresceu no Brasil e que tem tirado muitas pessoas da mentalidade esquerdista que nos foi incutida a vida inteira. Uma das privatizações mais esperadas é a dos Correios, que aparentemente está perto de ser concretizada19. Aparentemente.


Mas o grande ponto é que aquilo que está sendo vendido como uma privatização, não é, e isso já foi explicado na Shock Wave20.


Conforme a matéria:


No projeto de “privatização” aprovado pela Câmara na última quinta-feira (05), em meio aos seus 28 artigos, o de número 23 marotamente diz: “O poder executivo federal fica autorizado a promover a transformação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT em sociedade de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, com denominação alterada para ‘Correios do Brasil S.A. – Correios’, com sede no Distrito Federal”.


Com isso, ao transformar a ECT, uma empresa estatal semelhante à Caixa em uma sociedade de economia mista semelhante à Petrobrás, o governo apenas faz com que os Correios se pareçam menos com a Caixa e mais com o Banco do Brasil ou com a Petrobrás.


Em outras palavras, não muda nada.


Isso não é uma privatização.


Trata-se de uma falsa privatização.


Que beleza, meus confrades.

Não vai disputar?


Em meio a tantas pessoas que insistem no apoio a Bolsonaro “até 2026”, muitos podem ter uma grande surpresa até as vésperas das eleições de 2022. Pois como o Evandro Pontes já vem dizendo, talvez nem Bolsonaro e nem Lula sejam candidatos.


Os líderes do centrão já estão discutindo tal possibilidade21, e essa não seria a primeira vez em que uma grande expectativa sobre Bolsonaro seria frustrada. Dessa vez, a expectativa das expectativas, sua suposta candidatura de 2022.·.


“Eu sou do Centrão”


Que ninguém estranhe a influência do centrão na ida ou não de Bolsonaro à corrida presidencial de 2022, afinal ele mesmo já se declarou do centrão, com todas as letras, e suas ações tem sido muito mais para esse lado do que para qualquer aproximação com o conservadorismo.


O homem que chegou com a promessa de ser o anti-sistema, mostrou que é parte do sistema, e o sistema hoje é o centrão.


Conclusão


O que temos visto no mandato de Bolsonaro, é que tanto esquerda quanto direita falharam em prever como seria o governo. Longe de ser o perseguidor de minorias e ditador que a esquerda pregava Bolsonaro também não é o grande presidente que a direita idealista esperava.


Se Bolsonaro serviu para alguma coisa, foi para me fazer desistir da política, e acredito que o mesmo tenha acontecido com a maioria dos leitores.


Agradecimentos


Agradeço à Ju Ginger por ter aberto os meus olhos sobre este governo, como também aos seus colegas Evandro Pontes e Fernando Melo por todo o trabalho realizado para desmascarar esta farsa. Sem vocês este texto não existiria e eu estaria na rua com bandeira da República e gritando “Bolsomito até 2026”.


Meu canal católico no Telegram

https://t.me/LeaoCatolico


Referências


Por tema:


Damares e o MDH


(1) https://congressoemfoco.uol.com.br/especial/noticias/direitos-humanos-e-%E2%80%9Cesterco-da-vagabundagem%E2%80%9D-diz-bolsonaro/


(2) https://www.facebook.com/watch/?v=753405314808457


(3) https://exame.com/brasil/novos-ministerios-o-que-mudou-na-estrutura-do-governo-bolsonaro/


(4) https://noticias.r7.com/brasil/damares-alves-e-escolhida-para-o-ministerio-dos-direitos-humanos-06122018


(5) https://www.gov.br/mdh/pt-br/damares-alves


(6) https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/01/03/em-video-damares-alves-diz-que-nova-era-comecou-no-brasil-meninos-vestem-azul-e-meninas-vestem-rosa.ghtml


(7) https://criticanacional.com.br/2021/01/29/ministra-damares-alves-as-mascaras-para-criancas-incoerencia-sem-fim/


(8) https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-14.132-de-31-de-marco-de-2021-311668732


(9) https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020-2/novembro/7o-webinar-do-integra-brasil-discute-futebol-feminino-e-politicas-publicas-para-atletas-mulheres


(10) https://www.shockwavenews.com.br/post/dilmares-no-ataque


(11) https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020-2/novembro/cerimonia-de-lancamento-do-selo-201cnao-a-violencia-politica201d-ocorrera-nesta-quinta-feira-5


(12) https://www.shockwavenews.com.br/post/damares-cria-selo-para-proteger-mulheres-na-pol%C3%ADtica

Lei Audir Blanc


(13) https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2021-07/governo-publica-decreto-que-regulamenta-lei-rouanet


(14) https://www.shockwavenews.com.br/post/secretaria-especial-da-cultura-financia-projeto-crian%C3%A7a-viada-show


(15) https://www.youtube.com/watch?v=owxa7LGe9Zo&list=WL&index=4&t=1488s


Assistencialismo


(16) https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/governo-comeca-pagar-auxilio-emergencial-de-r-600-na-quinta-feira


(17) https://g1.globo.com/economia/auxilio-emergencial/noticia/2021/10/01/auxilio-emergencial-2021-caixa-paga-6a-parcela-a-nascidos-em-outubro.ghtml


Outros pontos


(18) https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/07/29/bolsonaro-sanciona-projeto-que-inclui-no-codigo-penal-crime-de-violencia-psicologica-contra-a-mulher.ghtml


(19) https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,privatizacao-dos-correios-pode-ser-votada-em-outubro-no-senado-diz-relator-do-projeto,70003856042


(20) https://www.shockwavenews.com.br/post/privatiza%C3%A7%C3%A3o-dos-correios-outra-mentira-do-governo


https://www.comunicacaoepolitica.com/lideres-do-centrao-ja-discutem-possibilidade-de-bolsonaro-nao-disputar-as-eleicoes-em-2022/



Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião da Shock Wave News. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e a produção de artigos, resenhas e textos em geral.