• Shock Wave News

OMS sugere que lockdown continuará mesmo após a vacina


via google

O chefe da Organização Mundial da Saúde sugeriu que as restrições ao coronavírus continuarão mesmo depois que uma vacina for amplamente disponibilizada.



Tedros Adhanom Ghebreyesus fez os comentários no Twitter depois que surgiram notícias de várias novas vacinas consideradas eficazes no combate ao COVID-19, chegando cada vez mais perto da concretização.


“Desde o início da pandemia # COVID19, sabíamos que uma vacina seria essencial para controlar a pandemia. Mas é importante enfatizar que uma vacina irá complementar as outras ferramentas que temos, não substituí-las”, disse Ghebreyesus.


Ele acrescentou que quarentenas, vigilância, rastreamento de contato e outras medidas continuariam mesmo depois que a adoção da vacina se generalizasse.


Como destacamos exaustivamente, vários outros indivíduos proeminentes afirmaram que lockdowns rolantes, uso de máscaras, distanciamento social e outras restrições vieram para ficar depois que a pandemia acabou.


Em seu livro Covid-19: The Great Reset, o globalista do World Economic Forum Klaus Schwab afirma que o mundo "nunca" voltará ao normal, apesar de admitir que o coronavírus "não representa uma nova ameaça existencial".


Um oficial sênior do Exército dos EUA também disse que o uso de máscaras e o distanciamento social se tornarão permanentes, enquanto o editor de segurança internacional da CNN, Nick Paton Walsh, afirmou que o uso obrigatório de máscaras se tornará "permanente", "apenas parte da vida", e que o público iria precisa "chegar a um acordo com isso."


Comentando sobre o assunto, Joseph Massey disse que a declaração de Ghebreyesus reafirmou o fato de que os bloqueios de COVID são mais sobre "engenharia social" do que acabar com uma pandemia.


“Não sou um teórico da conspiração, nem nego o COVID, mas pessoas como essas tornam difícil não acreditar que os bloqueios têm mais a ver com engenharia social do que como parar o vírus”, ele tuitou. “Uma vacina não é um 'complemento' estar isolado e amordaçado como um animal.”