slider-1.png
  • Donald Duck

Política e religião não se discute?

Atualizado: Abr 15



Há, na sociedade brasileira, uma terrível expressão que é: política e religião não são discutíveis. Crescemos com este pensamento incrustado em nós, de forma que, quando nos aparece a oportunidade de discutir sobre tais temas, logo nos fechamos e buscamos um outro tópico.


Ocorre que, apesar do dito popular, são sim assuntos passíveis de discussão e, inclusive, enriquecem nossa visão de mundo. No entanto, são vendidos como questões de foro íntimo e de importância irrelevante, justamente para que, interiorizando tal impressão, permaneçamos com um entendimento superficial e pouco moldado por essas pautas.


Enquanto isso, aqueles interessados em reformar integralmente e a qualquer custo a sociedade, atacam principalmente os campos espiritual e político, provocando profundas transformações destinadas não às melhorias, mas ao progresso pelo progresso.


Assim, impossibilitados pela censura desta tal expressão e tudo o que dela advém, anuviamos nossa visão, deixando de sermos capazes de olhar para tais mudanças com um olhar crítico e questionador, quando não ignoramos totalmente a transformação mesma.


É fundamental argumentar, colocar à prova, estudar sobre política e religião, para que tenhamos uma postura e um entendimento sólidos quanto a estes assuntos, a fim de que não assumamos mais um caráter de passividade frente às ameaças que nossas mais profundas crenças sofrem diariamente e defendamos com todo o nosso entendimento aquilo que acreditamos.


O preço da liberdade é a eterna vigilância.