• Amandaverso

Professor de Direito de Harvard diz que Trump ganhará ação movida na Pensilvânia.

O professor emérito da Escola de Direito de Harvard, Alan Dershowitz, apresentador do The Dershow, disse ao Breitbart News na quinta-feira(12) que o presidente Donald Trump provavelmente ganhará uma ação judicial aberta por sua campanha na Pensilvânia, contestando a legitimidade das cédulas recebidas pelo correio após o dia da eleição.


Dershowitz previu que a Suprema Corte dos Estados Unidos aceitaria o processo da campanha de Trump se o número de votos contestados fosse suficiente para mudar o resultado da eleição presidencial na Pensilvânia.


“Eu acho que Trump vai ganhar o processo da Pensilvânia”, disse Dershowitz no Breitbart News Tonight, com o apresentador Joel Pollak, “ou seja, o processo que questiona as cédulas que foram arquivadas antes do final do dia da eleição, mas não recebidas até depois do dia da eleição.”


Dershowitz continuou: “A legislatura [da Pensilvânia] basicamente disse não a isso e a Suprema Corte [da Pensilvânia] disse sim por causa da pandemia. Essa pode ter sido a decisão certa em algum sentido teórico, mas a Constituição não permite que ninguém no estado, exceto o legislativo, tome decisões sobre as eleições”.


Isso foi decidido corretamente em Bush versus Gore, e eu acho que a votação de quatro para quatro se tornaria uma votação de cinco para quatro se a questão fosse submetida à Suprema Corte e não houvesse cédulas disputadas para fazer diferença no resultado da eleição. Isso ainda está para ser visto. ”


Dershowitz observou: “Pelo que entendo os fatos do caso - embora eu ache que o que o judiciário fez pode ter sido a coisa certa moralmente: se você receber sua cédula dentro do prazo, não deveria ter o direito de voto negado só porque os correios estava confuso - não acho que você possa realmente usar esse argumento no Artigo Dois. Eu realmente acho que o argumento republicano é o mais forte."


“O Supremo Tribunal só vai julgar o caso se fizer diferença, só se os demandantes - os republicanos - puderem mostrar que o número de votos disputados que foram sequestrados pela decisão do ministro Alito supera a diferença entre a margem de vitória e a de derrota. ”


Dershowitz concluiu: “O argumento constitucional da Pensilvânia é um argumento indiscriminado que claramente pertence aos tribunais federais.”


A Suprema Corte ordenou que os conselhos eleitorais da Pensilvânia em 6 de novembro separassem a contagem das cédulas enviadas pelo correio que chegaram após o dia da eleição no caso de a Suprema Corte revisitar os processos eleitorais relacionados a tais votos.


As informações são do Breitbart.