• Saul Berenson

Questionado sobre vigilância russa, general Braga Netto comenta o assunto

Atualizado: há 7 dias

Durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, realizada no dia 5 de maio desse ano, o general ministro da defesa comentou sobre as alegações de vigilância militar da Venezuela e Rússia contra o Brasil

Citando matéria publicada pelo site Defesa Net, em que expõe a atuação dos militares russos na fronteira com o Brasil, o deputado federal Marcel van Hattem (Novo) questionou ao general as informações publicadas pelo site. Segundo a matéria citada pelo deputado, membros da inteligência brasileira foram alertados de que militares russos estariam atuando conjuntamente com a Venezuela na fronteira com o Brasil.


A matéria detalha que sistemas de interceptação eletrônica e de comunicações foram instalados em Santa Elena do Uairen, cidade venezuelana que faz fronteira com Pacaraima, Roraima. Ainda, segundo relatou o site, tais sistemas são capazes de quebrar criptografia, grampear e interferir nas comunicações do exército brasileiro e aeronaves militares operando na região. O site também afirma que, segundo fontes diplomáticas, o apagão ocorrido no Amapá em novembro de 2020 teria causa direta com a operação desses sistemas russos pela Venezuela.


Questionado sobre o assunto, o ministro da defesa Braga Netto respondeu que o exercício entre Venezuela e Rússia na fronteira com o Brasil realmente ocorreu e que não houve nenhuma invasão de fronteira ou ataque ao "lado de cá".


Veja a pergunta do deputado e a resposta do general na íntegra:

Essa não é a primeira vez que a presença militar russa na fronteira com o Brasil tem causado sérias preocupações. Em dezembro de 2018 a Rússia operou na Venezuela bombardeiros supersônicos estratégicos de capacidade nuclear, os famosos Tupolev Tu-160. Já em março de 2019, pousaram em solo venezuelano um avião militar de passageiros e um cargueiro Antonov An 124 com carregamento militar.


Os bombardeiros russos chegando na Venezuela em dezembro de 2018: