slider-1.png
  • Shock Wave News

Resolução CNS 617 e as cirurgias de “redesignação”

Atualizado: Ago 25

Por Evandro Pontes

Imagem: Reprodução

Uma matéria estúrdia de um veículo comunista, que se arvorou a tarefa imunda de defender a homologação, pelo Ministro Bolsonarista, da Resolução 617, chegou a afirmar o quanto segue:


Outro trecho da resolução falava em “fortalecer, ampliar e obter aporte financeiro público próprio para políticas e ações voltadas à população LGBTI+”.
Nesse sentido, defendia a capacitação de profissionais “para atendimento da população LGBTI+, reformulando protocolos, formulários, sistemas de informação do Sistema Único de Saúde (SUS) que atendam questões de identidade de gênero e orientação sexual para evitar barreiras de acesso aos serviços da população LGBTI+.”
Os mesmos radicais disseram que Queiroga tentava disseminar a cirurgia e o tratamento de redesignação sexual no Sistema Único de Saúde a partir da homologação da resolução, o que também não procede.

A Resolução 617 dissemina sim esse tipo de cirurgia.


Mas como tudo o que a esquerda e a patota neocon faz, nada nessa resolução ou nas matérias mentirosas que a ela se referem, as coisas são tratadas de forma direta.


É tudo muito sutil, indireto, insidioso, malandro...


A Resolução 617 em seu Anexo II, Eixo I, item 15 diz expressamente: “Garantir a Política Nacional de Saúde Integral LGBTI+ em conformidade com a legislação vigente (Portarias GM/MS nº 2.836/2011, nº 1.820/2009 e nº 2.803/2013).”


E o que é essa tal “a Política Nacional de Saúde Integral LGBTI+” e as “Portarias GM/MS nº 2.836/2011, nº 1.820/2009 e nº 2.803/2013”?


Adivinhe, leitor? Será que é algum documento proibindo cirurgia de redesignação de sexo pelo SUS? Ou será que é uma “Política Nacional de Saúde Integral LGBTI+” que não trata de cirurgia de redesignação de sexo?


Não leitores.


É uma Política que trata, dentre outras coisas, de cirurgia de redesignação de sexo sim e a trata nestes termos (p. 15): “A implementação do Processo Transexualizador no SUS, que regulamenta os procedimentos para a readequação cirúrgica genital, insere-se no contexto da Política LGBT e o desafio subsequente é a garantia do acesso a todas as pessoas que necessitam dessa forma de cuidado”.


Esse “desafio subsequente” que era “garantir o acesso a todas as pessoas que necessitam essa forma de... ‘cuidado’” foi obtido onde? Na porra da Resolução 617 homologada pelo vacilão da Saúde!


Você pode conferir a íntegra dessa Política que a Resolução 617 determina garantir o seu cumprimento fechado o ciclo homologado pelo Ministério da Saúde aqui.


Éramos felizes na época em que tínhamos que apenas desfazer mentiras e FAKE NEWS vindas tão somente da esquerda.


Hoje em dia essa praga maldita da mentira vem de todos os lados.


E todos, SIMPLESMENTE TODOS, sem exceção, usam os mesmos métodos para mentir.


Vocês todos são vermes imundos que merecem de forma equitativa e integral o desprezo e a repulsa de todo e qualquer eleitor de bem deste Brasil.



4 comentários