• Paulo Pavesi

Sinais trocados, brasileiros sem rumo


O Brasil é um país a deriva. Sem rumo. Estamos todos desesperados sem saber o que fazer ou como reagir. Pode até parecer engraçado, mas não é. No centro de São Paulo, um policial meteu a pistola na cara de um colega. Ambos do mesmo batalhão e que deveriam garantir a segurança da população, poderiam ter causado uma tragédia. E tudo isso tem uma raiz onde brota a confusão.


É um tal de STF.


Há poucos dias, Carmem Lúcia estava participando de um julgamento sobre um usuário que não aceita ser bloqueado pelo Presidente Bolsonaro. O sujeito quer ter o direito de usar o twitter para insultá-lo, ameaça-lo, humilha-lo como se isso fosse necessário. Jair já está de joelhos e definhando com a sua política das mãos atadas.


Carmem Lúcia disse que o Presidente não pode bloquear desafetos. o STF está tentando garantir o insulto. Porém, o mesmo STF, manda prender e suspender todas as redes sociais de quem critica a Suprema Corte. Sara Winter, Eustáquio, Allan e mais uma patota estão praticamente impedidos de falar o que pensam. Mas se quiserem insultar o presidente, o caminho está livre.


E não para por ai. Há alguns meses, o STF definiu que quem mandaria no país durante a pandemia seriam prefeitos e governadores. O Ministério da Saúde do governo Bolsonaro ficou encarregado apenas de pagar a conta e ser acusado de genocídio. E nem preciso dizer as consequências disso. O STF praticamente impediu Bolsonaro de governar. Porém, o mesmo STF, acaba de conceder mais um mandato para o presidente da Câmara e do Senado, ignorando a constituição que proíbe a reeleição. Bolsonaro não pode ser presidente do país, com 57 milhões de votos, mas Maia e Alcolumbre têm todo o direito de presidir em suas respectivas funções.


O que me chama a atenção é ver, mais uma vez, Bolsonaro não dizer ou fazer nada. Está em nocaute, ajoelhado no canto do ringue, esperando o gongo tocar. Talvez se livre da vergonha de ir à lona. Mas a luta, de qualquer forma, já está perdida.


Você pode estar pensando que o STF está remando contra a maré. Mas fique atento. Não estamos no oceano. Estamos numa banheira cheia de brejo com uma bolha gigante cobrindo nossas cabeças, e para que o Brasil continue neste mar de incertezas, a bússola do STF não poderia estar mais correta. O novo normal.

3 comentários