• Shock Wave News

Smartmatic foi criada (e exportada) para roubar eleições

Atualizado: 24 de Nov de 2020


Torna-se pública a declaração de um ex-membro do governo Chávez confirmando que o software . A seguir, um resumo, que você pode ver, na íntegra, neste PDF.


“A conspiração contra os Estados Unidos começou há mais de 10 anos na Venezuela e a partir daí se espalhou para o mundo inteiro. O objetivo é conquistar e manter o poder da elite e envolver políticos, multinacionais e quem quer fugir da liberdade. Fui escolhido como membro de segurança do presidente da Venezuela.


Testemunhei a criação de um sofisticado sistema de votação eletrônica que permitia aos governantes venezuelanos manipular o voto.


A conspiração da qual sou testemunha ocular refere-se ao presidente Chávez, chefe do Rodríguez Conselho Nacional Eleitoral e os chefes da Smartmatic. O objetivo era criar um software que permitisse trocar os votos contra Chávez por votos a seu favor Chávez reuniu-se com todos esses sujeitos, eu como testemunha presencial, para criar o software de manipulação. Chávez ofereceu muitos incentivos, inclusive grandes somas de dinheiro. O software criado se chama Sistema de Gestão Eleitoral e foi visto para a utilização de urnas eletrônicas conectadas à rede e, portanto, manobráveis. Os que votaram foram reconhecidos por impressão digital e isso foi para dar credibilidade ao grupo. Chávez insistiu muito que a votação poderia ser manipulada sem ser pego, e ele o obteve da Smartmatic.


Depois que o sistema foi criado, vi ser usado em várias eleições. Por exemplo, os de 2006 contra Rosales. Mas em particular, a eleição que vi absolutamente alterada com este sistema foi a de 2013, utilizada por Chávez para que Maduro fosse eleito. Olhando para as telas em tempo real, podíamos ver como funcionava porque o número de votos mudava consistentemente em segundos a favor de Maduro.


Às duas da tarde, Radonsky avançou Maduro por dois milhões de votos. Naquela ocasião a Smartmatic, através da conexão à rede, por ordem de Maduro, todas as contas foram apuradas em todas as áreas do país e milhões de votos foram movidos a favor de Maduro. Demoraram cerca de duas horas para fazer tudo, dando a ideia de um blackout de internet, enquanto manipulavam os dados, olhando diretamente para as urnas onde havia mais votos para o adversário de Maduro.


Quando declararam que a rede e a contagem voltaram a funcionar, já haviam mudado tudo com uma vantagem para Maduro de cerca de 200.000 votos. Depois que a Smartmatic criou este software, Chávez o exportou para todas as partes da América Latina e quando Chávez morreu, a Smartmatic era a única que poderia manipular as eleições. Smartmatic é o DNA de todos os tipos de votação eletrônica, incluindo Dominion. Dominion e Smartmatic fizeram negócios juntos nos Estados Unidos, o software é essencialmente o mesmo e funciona de forma idêntica.


Em 2017, durante as novas eleições de Maduro, o Sr. X (na declaração juramentada tornada pública o nome é bastante obscuro) declarou publicamente o que Smartmatic fez nas eleições anteriores, dizendo que tudo foi fraudado. Reconheci em todos os aspectos o que aconteceu nas eleições de 2020 nos Estados Unidos com o que testemunhei nas eleições de 2013 na Venezuela. ”