slider-1.png
  • Shock Wave News

Tenet (Christopher Nolan, 2020)

Por @nicky.brto


Lançamento mais recente do diretor britânico Christopher Nolan, o filme acompanha um agente secreto da CIA, denominado apenas como "O Protagonista" (John David Washington), que embarca em uma jornada através do tempo para impedir o fim do mundo. Estreou no Brasil no dia 29 de outubro, após diversos adiamentos, e já arrecadou US$ 300 milhões ao redor do mundo.


Primeiramente, é necessário tomar conhecimento das circunstâncias em que o filme foi divulgado e quando as primeiras avaliações negativas começaram a surgir. Famoso por enredos enigmáticos e orçamentos exorbitantes, Nolan já é um dos grandes nomes de sua geração. Sua luta (justificável) para que "Tenet" fosse exibido nos cinemas gerou críticas de todos os lados, resultando em análises tendenciosas e, no mínimo, injustas (algo muito comum atualmente, com ou sem pandemia).


Sim, não vou negar que há muitos problemas. As já conhecidas dificuldades do diretor em criar personagens cativantes ou retratar emoções, que tornaram-se evidentes em Dunkirk (2017), foram elevadas ao extremo. Embora tenha conseguido disfarçar essas mesmas fraquezas em obras como Amnésia (2000) ou Interestelar (2014), utilizando recursos de edição e diálogos elucidativos para descrever sentimentos complexos, o contrário ocorreu aqui.


O roteiro é demasiadamente apático, focando apenas em manter a história cada vez mais difícil de decifrar e, em determinado ponto, abandonando a narrativa (e a coerência) por completo. Isso acaba refletindo em atuações praticamente inexpressivas e caricatas, mesmo com um elenco repleto de atores renomados. A longa duração também não favorece, pois faz com que boa parte do público fique desinteressado com o desenrolar da trama.


Porém, apesar de todas as falhas citadas, não deixa de ser uma experiência cinematográfica memorável. Os efeitos especiais e práticos não decepcionam, misturando diferentes perspectivas temporais de modo convincente; a trilha sonora, desenvolvida por Ludwig Göransson (Pantera Negra) e tocada ao contrário, é impactante do início ao fim; por último, o maior destaque vai para as cenas de ação: grandiosas, fantásticas e inusitadas.


Para quem já está familiarizado com histórias do tipo, em busca de um verdadeiro espetáculo visual para se entreter e alternativas satisfatórias para certos discursos que dominaram o mundo nos dias de hoje (colocando "o futuro contra o passado"), Tenet é um filme que, com certeza, vale muito a pena ser assistido.