slider-1.png
  • F. Wronski

Tom Araya, o cara conservador por trás do Slayer

Tomás Enrique Araya Díaz, mais conhecido como Tom Araya, líder e baixista de umas das maiores e mais influentes bandas de thrash metal do mundo, o Slayer. Araya nasceu no Chile e aos cinco anos emigrou para os EUA junto com sua família. Cresceu em South Gate na Califórnia. Aos 08 anos de idade aprendeu a tocar contrabaixo começando a tocar músicas dos Bealtles e Rolling Stones. Em 1981 conheceu Kerry King, que lhe ofereceu uma posição em sua banda, Slayer. Araya aceitou imediatamente e, graças ao seu trabalho como paramédico, pode financiar o que seria o seu primeiro álbum de estúdio, Show No Mercy. Em 1984, Araya pediu permissão ao hospital onde trabalhava para poder realizar a turnê pela Europa da banda Slayer, entretanto, o hospital recusou. Depois de mais de um mês sem trabalhar, ele foi dispensado pelo hospital.



Atualmente Araya vive com sua esposa e seus dois filhos em Buffalo, Texas, onde possui um rancho e cria galinhas, vacas e algumas plantações. Adepto do Home Schooling, seus filhos foram educados em casa. Em uma entrevista, Araya expressou sua crença e disse: "Cristo veio para ensinar o amor, para não prejudicar os outros como no seu discurso: ...Aceite os outros como eles são. Viva em paz e ame os demais." Quando questionado se acreditava em Deus, ele respondeu: "Eu acredito em um ser supremo, sim. Mas ele é um Deus todo amoroso”. Ele também explicou que possui uma "forte crença na religião" e que a imagem da banda e suas canções não podem interferir em seus pensamentos e sentimentos, acrescentando: As pessoas não estão em boa forma para questionar seu próprio sistema de crenças por causa de um livro ou uma história que alguém escreveu, ou muito menos uma música do Slayer.



Em 2005, o vocalista apareceu no documentário de Sam Dunn, Metal: A Headbanger's Journey, respondendo a perguntas sobre sua formação religiosa, quando se definiu como católico. Em seguida, respondeu a uma pergunta sobre o álbum God Hates Us All, dizendo: "Deus não odeia ninguém, mas é um grande título”. Araya disse que é um erro da imprensa considerar os membros da banda como adoradores de Satanás: "Sim, sim, eu acho que é um dos maiores equívocos sobre a banda, nós somos apenas pessoas normais." Ele também expressou sua opinião sobre a qualidade das músicas escritas por Kerry King: "Eu não sou um daqueles que diz: Isso é péssimo, porque eu não penso nisso. Para mim, é melhor dizer: Isto é bom, vai irritar as pessoas!"


Em 2016, Araya ainda explicou que a principal razão pela qual a banda Slayer usar imagens satânicas era "assustar as pessoas", em particular as "pessoas de Hollywood", afirmando que nem ele nem nenhum de seus companheiros de banda tem alguma associação com o satanismo.



Em 2018 Tom Araya postou na sua conta no Instagram uma lista destinada a ilustrar a diferença entre “conservadores” e “socialistas”. A mensagem começa com: “Se você já se perguntou de que lado do muro você está, esse é um ótimo teste!” e inclui cerca de uma dúzia de máximas, como: “Se um conservador não gosta de armas, ele não compra uma. Se um socialista (liberal nos EUA) não gosta de armas, ele quer que todas as armas sejam proibidas”. E, “Se um conservador decide que precisa de um plano de saúde, ele adquire um, ou escolhe um emprego que o forneça. Um socialista exige que o resto de nós pague pelo dele”.


Quando Tom compartilhou a lista, ele incluiu a nota: “Com toda a maluquice que está acontecendo, eu tenho que perguntar (…) Comentários e opiniões bem-vindos.” Isso levou vários fãs a responder que o “teste”. Alguns líderes de bandas conhecidas também comentaram o post. Entre aqueles que participaram da conversa estava o vocalista do SACRED REICH, Phil Rind, que escreveu: “Eu não poderia discordar mais, mas sempre amarei o SLAYER!” Enquanto isso, o colega de Araya, Gary Holt também teceu algumas críticas de forma velada ao companheiro,


Para aqueles que tomaram a postagem de Araya muito à sério, vale lembrar a experiência ocorrida em 2017, época em que uma foto manipulada em Photoshop apareceu no Instagram da banda. Na época, a postagem também causou fúria, que foi logo tratada com ironia e diversão pelo vocalista: “Eu não votei em Trump e não votei em Hillary [Clinton]. Essas duas pessoas são as mais distantes … que eu jamais votaria. Fiquei surpreso com a resposta e como as pessoas reagiram. Mas foi tudo divertido. Foi tudo para fazer as pessoas rirem, porque eu achei engraçado. E também para irritar algumas pessoas. Eu só não percebi que eu ia irritar tantos fãs do SLAYER [risos]”.



Tom Araya sempre teve esse lado irônico e conservador inflamado, desde o princípio da banda até os dias atuais. Vide a música Silent Scream do álbum Season in the abyss. No qual a letra retrata todo o mal por trás de um aborto. Por defender tais questões e se expressar sobre tais assuntos, Araya já foi julgado diversas vezes por seus fãs. Muitos acham suas declarações polêmicas. E a velha narrativa é aplicada desde sempre, com todos que se declarem de direita ou conservador e cristão no mundo da música e da arte. Mas Tom Araya é sujeito bem humorado e sempre tirou tudo de letra sem se deixar abater.


Assista Slayer ao vivo executando a música Silent Scream



2 comentários