slider-1.png
  • Toon Felícia

Uma sociedade doente.


Foto: Portal Uol.


Bem, pra quem estava com saudades dos meus textos, eis que retorno com um tema que ganhou os portais de notícia da grande mídia, e causou em certa medida revolta de muitos.


A chamada Regressão Infantil tornou-se um fenômeno entre muitos jovens, que ao chegarem à idade adulta, sentem desespero e recorrem a esse tipo de comportamento para de alguma forma aliviar algo que está em seu interior.


Aqui não estou defendendo esse tipo de conduta, uma vez que no programa Tu e Elas tenho trabalhado constantemente a foramção pessoal, além de temas que remontam a ortigem desse tipo de comportamento.


Para começarmos, é preciso aqui colocar para você que não assistiu ao episódio seis do programa alguns pontos cruciais para o início da compreensão disso tudo.


Referência Masculina


Para quem não sabe, o pai é o responsável por interiorizar na criança o ânimo para superar desafios, ir para o mundo, desbravar novas possibilidades.


O homem é um ser exterior, e desde sempre batalhou para ir caçar seu sustento, lutar por sua família, seus filhos, deixar seu legado. Isso se reflete também em seu corpo, uma vez que suas genitais são externas, sua pele tende a ser mais áspera, isso tudo para que o homem seja capaz de prover o amparo de que sua esposa e filhos necessitam.


No decorrer dos anos, até nossos dias, a nossa sociedade vem tornando mais sensíveis os rapazes, a ponto de muitos acharem que são gays, algo que se você conversar com a pessoa por 30 minutos, usando os argumentos adequados, quebra qualquer tipo de narrativa.


É cada vez maior o número de jovens rapazes que preferem viver isolados, muitas vezes consumindo materiais pornográficos, a chegar numa garota, ou até mesmo tentar conquistá-la.


Uma vez que a pessoa, principalmente o rapaz, não possue uma figura masculina bem formada em seu imaginário, ele tende a ser uma pessoa mais afetiva, menos combativa, e assim não consegue desenvolver sua masculinidade.


Referência Feminina


Já aqui, começamos a adentrar numa seara mais delicada ainda.


A mulher em tudo foi feita para acolher: seu corpo foi formado para gerar dentro de si a vida, sua pele é mais macia e seu toque tende a ser mais acolhedor, seja com seus filhos, marido, ou até mesmo com os outros.


Enquanto o homem é um ser exterior, a mulher é mais interior. Tende a ser mais afetiva, e por isso é responsável por criar no imaginário da criança toda a memória afetiva, desde a gestação, até a vida adulta.


Assim como o homem reflete em seu corpo a sua essência, o mesmo ocorre com a mulher. Com sua aparencia delicada, sensível, remete ao carinho, ao cuidado. Seu sistema reprodutor é totalmente interior, e por isso, é em essência aquela que tudo acolhe, que tudo cuida.



Foto: São Luís e Santa Zélia Martín com sua fiha, Santa Teresinha do Menino Jesus. Foi o primeiro casal canonizados juntos, e de suas 5 filhas, 4 já estão canonizadas e uma foi beatificada e está no processo de canonização.



Agora que você já sabe a contribuição do casal para a formação da criança, vai ficar mais fácil de compreender o que de fato é essa regressão infantil.


Estamos diante de mais uma manobra revolucionária para a destruição da família, uma vez que jovens infantis dificilmente irão constituir família, e tão pouco gerar filhos.


Jovens infantilizados, crianças adultizadas são reflexo de uma sociedade doente, onde pais imaturos formam filhos imaturos, mimados, e mal acostumados.


À médio e longo prazo, veremos a normalização da pedofilia seja promovida pela turma colorida, seja promovida por animais que possuem fetiches infantis. Não se pode olhar para isso com tranquilidade, mas com cautela.


Falando bem a verdade, me perdoe quem se sentir ofendidinho com isso, mas o que mais vemos são pais que são mais infantis do que seus filhos, que não possuem maturidade o suficiente para conduzir nem a sua própria vida, quem dirá a de uma criança!


Pais que querem seus filhos sempre agarrados nas suas asas, sufocam seus filhos, e acham que estão educando dando tudo de material para eles.


Não é assim! Seus filhos precisam ser educados para o céu, para uma vida de santidade assim como fizeram São Luís e Santa Zélia Martín, que tiveram 9 filhos, sendo que 4 morreram ainda bebês, e as demais 5 filhas se entregaram à Deus!


Enquanto tivermos pais que não querem gastar tempo com seus filhos, em ouví-los, em acolhê-los, cenas como a mostrada na primeira imagem serão ainda mais comuns, e se preparem para perder suas crianças para essas pessoas que estão à serviço do demônio.


As palavras são duras, mas são para que você pai e mãe que estão lendo esse texto acordem e parem de mimimi. Não queiram que suas crianças pulem etapas, e conduza a cada um de seus filhos segundo a vontade de Deus.


Vocês terão de prestar conta diante de Deus das almas que te forem confiadas. Pense nisso.


Já passou da hora de crescer. Quantos jovens mais teremos de perder para tomarmos vergonha e mudarmos de postura?


Por fim, desejo que vocês façam um exame de consciência. Se forem pais, e seus filhos forem pequenos, não tenham preguiça de conhecer mais a eles. Se forem grandes, sejam o melhor amigo deles, não se colocando da mesma idade, mas estabelecendo com eles uma relação de confiança.


Se você ainda não tiver filhos, busque se conhecer e perdoe seus pais pelas faltas que eles cometeram. No fundo no fundo, os pais sempre querem o melhor, mas nem sempre tem a maturidade suficiente de reconhecer suas faltas e se redimir das mesmas.


Deus abençoe você.


São Luís e Santa Zélia Martín, rogai por nós e por nossas famílias.