slider-1.png
  • Shock Wave News

Voto Auditável no Afeganistão Já!!!


Reprodução

Aquele lindo e democrático país está em crise.


Mas nós, aqui do Brasil, temos a solução: voto impresso já!


Tudo o que vive aquela nação pode ser resolvido com a instalação de impressoras ao lado das urnas de votação, para que a esquerda não volte.


Com isso, o voto dos “afegões” serão auditáveis em eleições limpas e democráticas, para que os “talebões” não avancem nos direitos das mulheres dos “afegões”.


Digo mais – garantindo um centrinho forte em Afeganisland, as articulações impedirão “prisãos” ilegais. É importante também melhorar o “Bolsa Taleban” – com um voucher de “300 reais afegões”, é possível garantir eleições limpas e estradas asfaltadas na Talebópolis.


Para isso os hábeis, astutos e “campeãos” mundiais de Xadrez Afegão D4, os nossos amados e fabulosos deputags, têm as “soluçãos”: vamos todos sair as ruas neste Sete de Setembro e lutar pela INDEPENDÊNCIA AFEGÃ e pelas urnas auditáveis no Afeganistão.


Uma deputag estupenda, que faz as mais garbosas e tenazes análises políticas (foi ela que nos lembrou que a China, que hoje apoia os “talebãos”, tem “comunismo light”), disse que precisamos ir as ruas neste SETE DE SETEMBRO para lutar pela LIBERDADE dessa importante nação para a nossa balança comercial e para o nosso intercâmbio cultural.


O argumento foi definitivamente persuasivo – ela disse que se nada fizermos, em Afeganisland teremos 32 milhões de refugiados: em um país de 32 milhões de habitantes, termos 32 milhões de refugiados vai nos proporcionar a horrível cena de termos “talebãos” refugiados de si mesmos. Não vai sobrar ninguém!!!


Esse desastre também se abate sobre a Amazônia Afegã e sobre os “índios afegões”, que sofreram múltiplas violências dos “talebões”, se o voto impresso e auditável não for implementado até 2022.


Temos que advertir o afegão médio brasileiro – o Afeganistão corre riscos sérios de não sobrar ninguém por lá (32 milhões de refugiados...).


Vamos focar então, afegão médio, no voto impresso e auditável no Afeganistão – senão a esquerda volta!

1 comentário